Como é feita a prevenção ao uso de entorpecentes nas faculdades

O hábito saudável melhora a qualidade de vida humana, beneficiando para que o jovem ao chegar na terceira idade tenha um bom desempenho em aspectos físicos e mentais. Entretanto, há caminhos que conduzem à própria destruição, e esse ciclo começa ainda na juventude. A adolescência é uma fase de descobertas, onde o indivíduo deseja conhecer novas oportunidades e experiências distintas. 

O uso experimental de drogas no ensino médio é potencializado na faculdade, o que pode acarretar uma série de complicações tanto nos estudos, como em suas relações interpessoais. É comum a propagação em massa de drogas lícitas, como por exemplo o cigarro e o álcool. Esse estímulo influencia para que crianças e adolescentes consumam substâncias químicas corrosivas que afetam o Sistema Nervoso Central (SNC).

Mas afinal, o que fazer para trabalhar de forma consciente os malefícios do produto? Primeiramente compreenda que quanto mais jovem uma pessoa aceita fazer o uso compulsivo de drogas, mais a sua situação se tornará delicada. A dependência química não é apenas um aspecto físico, e sim mental. O excesso de drogas no organismo aumenta a probabilidade do indivíduo de desenvolver graves problemas psíquicos, como por exemplo a ansiedade e a depressão, além da dependência crônica que é uma doença gradativa e que não tem cura. 

Projeto de conscientização

Promover uma cultura mais consciente deve ser o objetivo das universidades de todo o Brasil. A prevenção ao uso de drogas lícitas e ilícitas, como por exemplo o álcool, cigarro, medicação com prescrição médica, cocaína, crack, maconha, LSD e dentre outros, devem ser recorrentes. O envolvimento de professores, alunos, profissionais da área da saúde e sobreviventes ajudam no processo de conscientização.

Trabalhos acadêmicos, palestras, pesquisas, eventos e trabalhos sociais podem imergir o jovem a pensar quantas vezes forem precisas antes de fazer o uso do produto. O que muitos jovens desconhecem é que a dependência é uma doença gradativa, ou seja, quando menos se espera o indivíduo estará em um círculo vicioso. O primeiro sinal da dependência é o estado de negação. Todavia, seu Sistema Límbico está gravemente alterado. Essa condição afeta sua forma de pensar, e conduz para que consequências impulsivas e inconsequentes sejam tomadas. 

É importante que o projeto universitário disponibilize informações científicas necessárias sobre o uso de drogas, por meio de blogs, sites, redes sociais e dentre outras plataformas. Há muitos meios para propagar as informações corretas, transformando jovens em cidadãos mais conscientes. A disponibilização de equipes profissionais em uma clínica de reabilitação para o atendimento ao público ajuda a identificar o grau de dependência do próprio indivíduo, além de dar todo o suporte médico para controlar a compulsão e a tratar o problema. 

Identificando o vício e evitando o uso de drogas

O projeto universitário deve trabalhar de forma reflexiva a conscientização do usuário de drogas, muitos alunos de universidades acreditam que está tudo sob controle. Entretanto, um futuro carregado de vícios pode estar mais perto do que se imagina. Veja abaixo algumas perguntas que podem ajudar o jovem universitário a identificar o início da sua dependência. Há casos que podem ser controlados sem a ajuda de profissionais da área da saúde. Em contrapartida, há dependentes químicos que necessitam de ajuda profissional, se atente aos sinais:

  • Falta muitas aulas e frequenta periodicamente o bar?
  • Pensa que está tudo sob controle e no outro dia percebe que passou dos limites?
  • Deixa de fazer trabalhos acadêmicos e provas para usufruir de alguma substância química?  
  • Saiu da aula diversas vezes para fazer o uso do cigarro? 
  • Já faltou à aula em decorrer a ressaca?

Se atente ao seu comportamento, pois suas práticas de hoje o levarão à um futuro baseado em práticas do passado. A faculdade é um meio para conscientizar jovens dos malefícios do produto, seja em decorrer à consequências psíquicas e físicas. Por mais que o uso de drogas esteja ligado à sentimentos de alegria, euforia e bem-estar, compreenda que esses efeitos são momentâneos. E em consequência, o indivíduo pode se tornar uma pessoa agressiva, nervosa, irritada, impulsiva e inconsequente. 

É possível tratar a dependência química e alcoólica, mas para que isso aconteça é necessário a conscientização e dar o primeiro passo. Quanto antes houver tratamento, melhor será para o usuário de drogas. Consequências fatais podem surgir, ajude no processo de conscientização!

Compartilhe: